Argumento da ignorância (argumentum ad ignorantiam)

A falácia do argumento da ignorância ocorre quando alguem tenta argumentar que algo é verdadeiro porque se não provou ser falso, ou argumentar que algo é falso por não se ter provado ser verdade. Esta falácia seria melhor designada por "falácia da falta de prova suficiente do contrário". Porque a falácia não pretende afirmar que a pessoa é ignorante. A sua irrelevância baseia-se no facto de que a falsidade de uma afirmação deve ser mostrada refutando provas dela, não apontando o facto de que o seu proponente não provou que era verdadeira. Não posso provar que a teoria de Einstein da relatividade é verdadeira, mas isso não é relevante para a verdade ou falsidade da teoria. Não posso provar que extraterrestres visitaram este planeta e invadiram o corpo de Rush Limbaugh, mas isso não tem relevância para a questão de tal afirmação ser verdadeira.

Se pensar em ignorância como sem conhecimento, o nome desta falácia não é tão enganador como pode parecer. A falácia ocorre quando a falta de conhecimento de que uma posição é verdadeira leva à conclusão de que a posição oposta é verdadeira. O argumento da ignorância parece ser mais sedutor quando usado para apoiar o que os americanos chamam "wishful thinking" (pensamento voluntarioso?). Pessoas que querem acreditar em projeção astral, por exemplo, são susceptiveis de pensar que a falta de provas do contrário das suas crenças é de algum modo relevante para as suportar.


Links

recuarhome