Charles Fort e os Forteanos

Charles Fort (1874-1932) era um céptico anti-ciência que passou a maior parte da sua vida estudando jornais, revistas e jornais cientificos à procura de qualquer coisa misteriosa que não se encaixasse nas teorias científicas correntes. Foi autor de vários livros que atacaram o "sacerdócio" da ciência. Fort teve muitos poucos amigos, mas um deles, Tiffany Thayer, criou a Sociedade Forteana para promover e encorajar ataques similares à ciência e a cientistas. Os Forteanos estão vivos e publicam uma revista que segue as técnicas do seu herói de ridicularizar e atacar cientistas tanto quanto possivel. Em 1937, quando Fort morreu deixou 30 caixas com notas. Os Forteanos ainda estão a publicá-las.

Apesar de Fort ter uma apaixonada descrença nos cientistas, isso não o impediu de apresentar as suas especulações em cosmologia, por exemplo. As especulações nada teem a ver com a verdade, nem dar qualquer indicação de uma compreensão de investigação e de criar uma teoria. Fort parece ser um dos mais radicais cépticos da ciência que pensam "vale tudo" visto os cientistas cometerem erros e as teorias cientificas serem tentativas sujeitas a modificações, ou mesmo rejeição. Fort tinha muitas teorias e especulações sobre fenómenos naturais. Martin Gardner afirma ser dificil perceber o que fazer com todas as suas teorias. Era Fort um humorista? Era tudo uma grande piada? Era um desiquilibrado, levando-se a sério? Acreditou em alguma coisa do que disse? Gardner conclui que Fort era um Hegeliano louco! Talvez. Mas o que me interessa não é o que Fort era, mas antes o seu cepticismo extremo e vingativo para a ciência. Os Forteanos não são contra a especulação ou investigação de fenómenos naturais, ou seja, não se opoem a trabalhar com a ciência. Parecem opôr-se à ciência como ela é: falivel, humana, tentativas, probabilidades em vez de certezas. Parecem pensar que, visto a ciência não ser infalivel, qualquer teoria é tão boa como outra. É o mesmo tipo de incompreensão da ciência que encontramos nos chamados "cientistas criacionistas" e outros pseudocientistas.


Links

Gardner, Martin. Fads and Fallacies in the Name of Science, (New Hork: Dover Publications, 1957).

recuarhome