sd.gif (2133 bytes)
Robert Todd Carroll

 the truth is in here!
Dicionário Céptico

Busca no Dicionário Céptico




Busca Avançada

vertline.gif (1078 bytes)

Roswell

Num dia próximo, ou exatamente no Dia da Independência dos EUA [4 de julho] de 1947, durante forte trovoada nos arredores de Roswell, no Novo México, uma experiência da Força Aérea com balões de grande altitude se despedaçou e caiu de volta ao solo. Esse incidente secundário da história do reconhecimento aéreo se tornou o Big-Bang da Ufologia. Os entusiastas de OVNIs passaram a ver o 4 de julho como o dia em que uma espaçonave alienígena caiu na Terra. Alguns ufólogos afirmam que os alienígenas teriam sido levados pela Força Aérea e outros co-conspiradores para interrogatório ou autópsia. Alguns afirmam que toda a nossa tecnologia moderna teria sido aprendida através da análise e cópia da tecnologia dos alienígenas.

O local real da queda foi o rancho Foster, 120 km ao norte de Roswell, uma pequena cidade que faz grandes negócios alimentando o apetite insaciável dos entusiastas dos OVNIs. Roswell agora abriga dois museus e é anfitriã de um festival anual de alienígenas. As lojas abastecem esse curioso mercado turístico, assim como a Inverness abastece a turma de Loch Ness. Isso parece ser um pouco injusto com a cidade de Corona, no Novo México, já que ela é a cidade realmente mais próxima ao "local da queda". Roswell, no entanto, é a base militar mais próxima e é para lá que os restos da nave alienígena e de seus ocupantes teriam sido supostamente levados. Continua sendo um mistério por que os alienígenas não foram levados para instalações médicas melhores.

William "Mac" Brazel (rima com dazzle [deslumbrar]), capataz do Rancho Foster, acompanhado de Dee Proctor, uma garota de 7 anos, encontrou o destroço mais famoso da história moderna. Eles nunca tinha visto nada parecido antes. Milhões de pessoas concordam atualmente: a coisa era estranha. Na verdade, era algo bem mundano, possuindo inclusive uma fita de reforço cujo desenho floral foi interpretado como hieróglifos alienígenas. Pior ainda, a Força Aérea não foi coerente ao descrever os destroços. Teve até a audácia de afirmar que talvez os ufólogos ardorosos tivessem tido problemas de memória. Talvez aquilo que as pessoas estejam lembrando como um único evento tenham sido na verdade vários eventos que ocorreram em anos diferentes (como balões meteorológicos e balões de detecção de explosões nucleares, quedas de aviões com corpos carbonizados, bonecos sem feições sendo lançados de aviões, etc.). A probabilidade de que Roswell seja uma reconstrução envolvendo vários eventos ocorridos em vários anos é reforçada pelo fato do caso ter sido ignorado pelos ufólogos até que Charles Berlitz e William publicaram um livro sobre o assunto em 1980, mais de 30 anos após o incidente. Esse é o mesmo Berlitz que popularizou o mito de Atlântida e a lenda urbana a respeito da Experiência de Filadélfia. Berlitz é essencialmente uma fonte duvidosa que fez sua carreira descobrindo outras fontes duvidosas para corroborar suas teorias.

Para os fanáticos por OVNIs, porém, a sugestão de que tenham errado é ridícula. Apesar de tudo confiam em Berlitz e outros com histórias fantásticas baseadas em recordações de 30 anos. E o fato de que o governo tenha cometido erros e tenha sido incoerente é tomado como prova suficiente de que existe uma conspiração maciça sendo praticada pelo governo e pela imprensa. Estão tentando esconder do público geral o fato de os alienígenas chegaram. Alguns chegam a acreditar que o governo dos EUA assinou um tratado com os alienígenas. Se tiver mesmo, esperemos que o governo seja mais leal com os alienígenas do que foi com os índios.

Os céticos concordam que algo tenha caído perto de Roswell em 1947, mas não uma nave alienígena. As explicações céticas variam desde balões meteorológicos e aeronaves secretas a dispositivos de espionagem. O consenso atual entre os céticos é que o que foi encontrado no rancho de Brazel era parte do Projeto Mogul, um projeto ultra-secreto que testava balões gigantes de grande altitude para detectar explosões nucleares soviéticas.

A quantidade de energia gasta em Roswell poderia provavelmente abastecer várias galáxias alienígenas por um milhão de éons. É o bastante para fazer uma pessoa acreditar em fusão craniana a frio. Para os ufólogos Roswell é a ressureição, a prova de sua fé. Eles têm testemunhas, têm destroços inexplicáveis e têm relatos de testemunhas oculares das criaturinhas. Eles têm prova sobre prova de acobertamentos por parte do governo e da imprensa. Eles têm uma indústria de entretenimento que tenta se fazer passar por parte da imprensa noticiosa, especialmente a Fox (Alien) Network. Essa indústria consiste em apresentadores de programas de entrevistas do rádio e da TV, editores e produtores de "especiais" de televisão sobre OVNIs nos canais Discovery e A&E. Fazem pouco para oferecer informação útil e muito para saciar os entusiastas dos OVNIs, sedentos por "provas" de suas histórias fabulosas e de acobertamentos governamentais. Possuem até uma falsificação malfeita de filmagem de autópsia de um alienígena que foi mostrada a mais de 10 milhões de pessoas em agosto de 1995 pela Fox (Alien) Network. Conseguiram a Meca do Marketing.

Para os céticos, Roswell é um exemplo clássico do que D.H. Rawcliffe chamou de falsificação retrospectiva. Uma história é contada e então recontada com floreios e remodelada com os pontos favoráveis enfatizados e os desfavoráveis suprimidos. Testemunhas falsas dão sua contribuição. No caso de Roswell temos também alguns personagens duvidosos que acrescentam suas ilusões, como Whitley Strieber, Budd Hopkins e John Mack (veja o verbete sobre abduções alienígenas). Há também Robert Spencer Carr, que tem o segundo grau e gostava de ser chamado de "Professor Carr". Ele é um herói da literatura de OVNIs, mas suas histórias de discos voadores e criaturas alienígenas eram todas ilusões. Seu filho escreveu: "Sinto muitíssimo que as mentiras patológicas de meu pai tenham se tornado a base sobre a qual se acumulou essa monstruosa montanha de falsidades." Foi essa montanha de falsidades que se tornou parte da memória dos OVNIs, fixando a convicção num conto extraordinário. Aconteceu em Fátima (num tempo em que os únicos alienígenas que se pensava estarem visitando o nosso planeta eram os mensageiros de Deus) e aconteceu em Roswell. Poder-se-ia pensar, no entanto que, diferentemente da crença em Nossa Senhora de Fátima e outras crenças em aparições vindas do mundo sobrenatural, o caso de Roswell poderia ser esclarecido um dia, já que envolve hipóteses testáveis e alegações refutáveis. Não conte com isso. Os entusiastas dos OVNIs são exatamente tão devotos a suas crenças quanto os fanáticos religiosos às deles. Provas e argumentos racionais são de pouca relevância para os que consideram a ficção científica um guia mais sábio que a ciência.

Veja verbetes relacionados sobre abduções alienígenas, Área 51, o falso OVNI de Aztec, e OVNIs.


leitura adicional

Carr, Timothy Spencer. "Son of Originator of 'Alien Autopsy' Story Casts Doubt on Father's Credibility [Filho do Originador da História da 'Autópsia do Alienígena' Lança Dúvidas Sobre a Credibilidade do Pai," Skeptical Inquirer, julho/agosto de 1997, pp. 31-32.

Frazier, Kendrick. (ed.) The UFO Invasion : The Roswell Incident, Alien Abductions, and Government Coverups [A Invasão dos OVNIs: O Incidente de Roswell, Abduções Alienígenas e Acobertamentos Governamentais] (Amherst, N.Y.: Prometheus, 1997).

Klass, Philip J. The Real Roswell Crashed Saucer Coverup [O Verdadeiro Acobertamento do Disco Voador que Caiu em Roswell] (Buffalo, N.Y.: Prometheus, 1997).

Korff, Kal K. The Roswell UFO Crash - What They Don't Want You to Know [A Queda do OVNI de Roswell - O Que Eles Não Querem Que Você Saiba] (Buffalo, N.Y.: Prometheus, 1997).

Peebles, Curtis. Watch the Skies!: A Chronicle of the Flying Saucer Myth [Olhe no Céu!: Uma Crônica do Mito dos Discos Voadores] (Smithsonian Institution Press, 1994).

Sagan, Carl. The Demon-Haunted World - Science as a Candle in the Dark [O Mundo Assombrado Pelos Demônios - A Ciência como uma Vela no Escuro, cap. 5, "Spoofing and Secrecy" (New York: Random House, 1995).

Saler, Benson. Charles A. Ziegler, Charles B. Moore. Ufo Crash at Roswell: The Genesis of a Modern Myth [A Queda do OVNI de Roswell: O Gênesis de um Mito Moderno] (Smithsonian Institution Press, 1997).

©copyright 1998
Robert Todd Carroll

traduzido por
Ronaldo Cordeiro

Última atualização: 2001-01-20

Índice