Dogon e Sirius

De acordo com Robert Temple (The Sirius Mystery), os Dogon, uma tribo de cerca de 100,000 pessoas na Africa Oriental, teve contacto com extraterrestres. Uma das provas de Temple é o alegado conhecimento pela tribo de Sirius B, uma companheira da estrela Sirius. Os Dogon supostamente sabem que Sirius B orbita Sirius e que uma órbita demora cinquenta anos. A prova disto é um desenho na areia feito pelos Dogon para explicar as suas crenças. O diagrama que Temple apresenta, contudo, não é o diagrama completo que os Dogon mostraram aos antropologistas franceses que foram as fontes originais da história de Temple. Temple ou interpretou mal a crença dos Dogon ou distorceu-a para encaixar na sua.

Contudo, há um numero de outras crenças astronómicas defendidas pelos Dogon que são curiosas: a crença tradicional num sistema heliocêntrico e órbitas elipticas; conhecimento dos satélites de Jupiter e dos aneis de Saturno, entre outras. Onde obtiveram estes conhecimentos, a não ser de visitantes extraterrestres? Não teem telescópios ou outro equipamento científico, portanto como conseguiram estes conhecimentos? Carl Sagan conclui que os Dogon só o podiam obter por contacto com uma civilização tecnológicamente avançada. Sugere, contudo, que essa civilização era terrestre e não extraterrestre.

A Africa Oriental teve muitos visitantes de sociedades tecnológicas localizadas no planeta Terra. Os Dogon teem um interesse tradicional no céu e em fenómenos astronómicos. Como nota Sagan, se um Europeu visitou os Dogon entre 1920 e 1930, as conversas ter-se-iam virado para assuntos astronómicos, incluindo Sirius, a estrela mais brilhante e centro da mitologia Dogon. Para alem disso, nos anos 20 houve bastante discussão sobre Sirius na inprensa científica, pelo que quando Griaule chegou, os Dogon podiam ter alguma visão da tecnologia do século 20, para lá da sua compreensão, trazido por visitantes de outras partes da terra e transmitidos por conversas. (Sagan nota que uma das discussões da época envolvia a natureza das anãs brancas. Sirius B é uma anã branca, uma estrela extremamente densa, cerca de uma tonelada por polegada cubica.)


Leituras

recuarhome