sd.gif (2133 bytes)
Robert Todd Carroll

 the truth is in here!
Dicionário Céptico

Busca no Dicionário Céptico




Busca Avançada

vertline.gif (1078 bytes)

o subliminar

Subliminar é aquilo que está abaixo do limiar (a menor sensação detectável).

Qualquer coisa que estivesse abaixo do nível das sensações detectáveis não poderia, por definição, ser percebida. No entanto, o subliminar é geralmente considerado o limiar da percepção consciente. Há uma crença amplamente difundida, sem o forte respaldo das pesquisas empíricas, de que o comportamento de uma pessoa possa ser significativamente afetado por mensagens subliminares, sem que ela tenha consciência de sua presença ou conteúdo. Assim, acredita-se que se possa influenciar o comportamento apelando sub-repticiamente para a mente subconsciente com palavras e imagens. Se isso fosse verdade, os anunciantes poderiam manipular o comportamento do consumidor escondendo mensagens subliminares em seus anúncios. O governo, ou a Tia Hilda, poderiam controlar nossas mentes e corpos, comunicando-se secretamente conosco de forma subliminar. Estudantes poderiam aprender enquanto ouviriam música com mensagens subliminares embutidas. Infelizmente, "...anos de pesquisas resultaram na demonstração de alguns efeitos muito limitados do estímulo subliminar" e em nenhuma confirmação da sua eficácia na modificação do comportamento (Hines, 312).

O fato de não haver quase nenhum respaldo empírico para a utilidade de mensagens subliminares não impediu que numerosas indústrias produzissem e comercializassem fitas que supostamente se comunicariam diretamente com a mente inconsciente, incentivando o "ouvinte" a não roubar, ou treinando o "ouvinte" para ter coragem ou acreditar em seu poder de realizar grandes conquistas. Um site chamado Hipnose Holística oferece um amplo conjunto dessas fitas, desenvolvidas por James H. Schmelter, hipnoterapeuta com mestrado em administração e auto-proclamado expert em Ciência Cinergística. Se o material de Schmelter não for do seu agrado, experimente Inspiração Subliminar da Success Cassettes, Inc.

É verdade que podemos perceber coisas mesmo quando não temos consciência de percebê-las. Porém, para os que colocam mensagens em fitas e então gravam música sobre elas de forma que as mensagens sejam encobertas pela música ou outros sons, poderia ser útil lembrar que, se as mensagens são encobertas por outros sons, as únicas percepções que se poderá ter serão os sons que encobrem as mensagens. Não há nenhum indício de que alguém possa ouvir uma mensagem que foi enterrada sob camadas de outros sons até o ponto de que a mensagem não se destacasse distintamente. Naturalmente, se a mensagem se destacasse distintamente não seria subliminar.

A crença no poder das mensagens subliminares para a manipulação do comportamento parece ter se originado em 1957 com James Vicary, um promotor de anúncios que afirmou ter aumentado a venda de pipocas em cerca de 58%, e a venda de Coca-Cola em cerca de 18% num cinema de Nova Jersey, simplesmente mostrando lampejos de mensagens "Beba Coca-Cola" e "Faminto - Coma Pipoca" no nível subliminar. Embora tenha sido demonstrado que essa afirmação era uma farsa, e embora ninguém tenha conseguido repetir o evento, a crença na lenda ainda permanece. Essa história e várias outras foram recontadas por Vance Packard em The Hidden Persuaders [Os Persuasores Ocultos] (1957), livro que tornou-se leitura obrigatória para uma geração de estudantes universitários.

A crença na transmissão subliminar de mensagens atingiu o ápice do surrealismo em 1980, com a publicação de The Clam-Plate Orgy and Other Subliminals the Media Use to Manipulate Your Behavior [A Orgia no Prato de Moluscos e Outros Subliminares que a Mídia Usa para Manipular Seu Comportamento] de Wilson Bryan Key. O livro foi relançado sob o título mais sexy: Subliminal Adventures in Erotic Art [Aventuras Subliminares na Arte Erótica]. Key afirma que os anunciantes usam transmissões subliminares de mensagens de natureza fortemente sexual a fim de manipular o comportamento. Ao examinar cuidadosamente um cardápio do Howard Johnson, Key viu que o prato de moluscos ilustrado ali era na verdade a representação de uma orgia sexual que incluía várias pessoas e um jumento. Entre as muitas alegações infundadas de Key há a de que a mente inconsciente processa as mensagens subliminares à velocidade da luz. Na verdade, o processo cerebral mais rápido resfolega a uns 64 km/h (Hines).

A despeito do fato de não haver nenhum respaldo empírico à idéia de que a publicidade subliminar seja eficaz, em 1974 a Comissão Federal de Comunicações (FCC) emitiu uma ordem dizendo que transmissões que propositalmente carregassem tais anúncios estariam operando "de forma contrária ao interesse público." Em setembro de 2000, os senadores Ron Wyden do Oregon e John Breaux da Louisiana queixaram-se à FCC de um anúncio republicano que mostrava lampejos da palavra "RATS" [ratos] ao longo da tela por 1/30 de segundo. "Temos razões para acreditar que as emissoras estejam transmitindo anúncios de televisão que contêm mensagens subliminares, numa violação do interesse público" dizem, aparentemente esquecendo-se do fato de que algo que não pode ser registrado pelo cérebro tem pouca probabilidade de ter qualquer efeito sobre os espectadores.

Veja verbetes relacionados sobre hipnose, controle da mente, e pareidolia.


leitura adicional

Hines, Terence. Pseudoscience and the Paranormal [A Pseudociência e o Paranormal] (Buffalo, NY: Prometheus Books, 1990).

Volkey, J. and J. Read. "Subliminal Messages: Between the Devil and the Media [Mensagens Subliminares: Entre o Diabo e a Mídia]," American Psychologist (1985), pp. 1231-1239.

©copyright 2000
Robert Todd Carroll

traduzido por
Ronaldo Cordeiro

Última atualização: 2000-09-27

Índice