Teosofia

Teosofia, ou sabedoria divina, refere-se ou ao misticismo dos filósofos que acreditam que podem compreender a natureza de Deus por apreensão directa, sem revelação, ou refere-se ao esoterismo de colecionadores de filosofias misticas e ocultas que afirmam estar em presença de grandes segredos de sabedorias antigas.

O misticismo teosofico é atribuido a Platão (c. 427-347 aC), Plotinus (204/5-270) e outros neo-Platonicos, e Jakob Boehme (1575-1624), entre outros. Teve a sua ultima grande explosão na filosofia ocidental no século 19 com o Idealismo Alemão. A tradição mistica continua a ser um forte elemento em muitas filosofias não Ocidentais, como a Indiana.

O esoterismo teosófico inicia-se com Helena Petrovna Blavatsky (1831-1891) mais conhecida como Madame Blavatsky, uma das co-fundadoras da Sociedade Teosófica em Nova Iorque em 1875. A tradição teosófica esotérico de Blavatsky vai beber a várias tradições filosóficas e religiosas: Zoroastrismo, Hinduismo, Gnosticismo, Maniqueismo, a Cabala, entre outras.

Os seus mais duros criticos consideram Madame Blavatsky como "um dos mais bem sucedidos, engenhosos e interessantes impostores da história." Os seus seguidores consideram-na uma santa e um génio. [Afirmam que ela descobriu a verdadeira natureza da luz ou por clarividência ou por intuição, sem necessidade de estudo cientifico ou comunicação com cientistas.] Visto as caracteristicas não serem conrtraditórias, é possivel que tenha sido uma fraude e uma santa genial. Muito do que se diz de Blavatsky origina-se nela mesmo, os seus fiéis ou os seus inimigos. Mesmo assim, algumas coisas parecem menos dubias que outras. Parece ter viajado e lido bastante. Blavatsky afirma ter passado vários anos no Tibete e India sendo iniciada nos mistérios ocultos por vários "mestres" (mahatmas ou adeptos) especialmente Mestre Morya e Koot Hoomi, que tinham corpos "astrais". São conhecidos pelos seus extraordinários poderes psiquicos e por serem os guardadores de "Antiga Sabedoria". Não são divinos, diz ela, mas mais evoluidos que a maioria de nós. (Evolução, de acordo com Blavatsky, é um processo espiritual.) O seu objectivo é unir a humanidade numa Grande Irmandade Branca.

Blavatsky parece claramente ter uma poderosa personalidade. Conhecia os truques do espiritismo, tendo trabalhado com um espirita no Egipto, e no inicio a Sociedade Teosofica parece ter claramente usado truques para enganar os outros, fazendo-os crer que tinha poderes paranormais. Certo que aldrabou a materialização de um pires e uma chavena, bem como mensagens escritas dos seus Mestres, presumivelmente para aumentar a sua credibilidade. Afirmava ter tido experiencias paranormais, mas se ela acreditava realmente em tudo ou não, não podemos dizer.

Em 1875 funda a Sociedade Teosofica em colaboração com Henry Steele Olcott, um advogado e escritor, e W. Q. Judge. Ela encontra Olcott em 1874 enquanto investiga o espiritismo dos irmãos Eddy em Vermont. Continuam a encontrar-se e com outros que pensam de forma semelhante e juntos fundam a sociedade. Alguns anos depois, ela e Olcott partem para a India e estabelecem aí o centro da teosofia. Sai debaixo de suspeita em 1885, acusada de falsificar materializações de ensinamentos dos seus Mestres. De volta à Europa em 1888 publica a sua grande obra The Secret Doctrine. O livro "é uma tentativa... de reconciliar ciência, Sabedoria Antiga e cultura humana através de... cosmologia, história, religião e simbolismo." (Ellwood) De acordo com Blavatsky, "O objectivo da... Sociedade Teosofica  [era] reconciliar todas as religiões, seitas e nações debaixo de um sistema comum de ética, baseado em verdades eternas."

Não rejeita religiões como o Cristianismo e o Hinduismo, mas afirma que todas as religiões teem uma tradição exotérica e esóterica. As tradições exotericas são unicas e distintas para cada religião. A doutrina esotérica é a mesma para todas. Ela afirma transmitir a sabedoria dessa doutrina partilhada. E mesmo tendo tido uma associação com o espiritismo, afirma que "os espiritos dos mortos não podem regressar à terra -- salvo em raros e excepcionais casos..."

Podemos perguntar porque, sendo a Teosofia tão antiga e universal, era desconhecida até 1875. Madame tem a resposta. Devia-se a "ignorancia voluntaria". Nós humanos perdemos a "verdadeira visão espiritual" porque nos devotámos às "coisas dos sentidos" e ficamos escravos "da letra morta do dogma e dos rituais" "Mas a razão mais forte," diz ela, "reside no facto de que a Teosofia sempre se conservou em segredo." Existem vários motivos para se manter este segredo. "...Primeiro, a perversidade da natureza humana média e o seu egoismo, sempre pronto à gratitude de desejos pessoais em detrimento do vizinho e do próximo. A tais pessoas não se podiam confiar segredos divinos. Segundo, a sua instabilidade para manter os conhecimentos divinos e sagrados. Foi isso que levou à preversão de verdades e simbolos sublimes, e à gradual transformação de coisas espirituais em antropomorficas, concretas." [The Key to Theosophy] Perguntamos se o mundo era muito diferente nos finais do seculo 19. Se eram menos preversos, egoistas, materialistas, profanos, etc, do que tinham sido, será um choque para os historiadores.

Mas que é esta "Sabedoria Antiga" que os teosofos prometeram partilhar connosco? Uma compilação eclética de escritos e ensinamentos Hindus, Egipcios, Gnosticos e outros, neo-Platonismo, e histórias como o mito da Atlantida. São filosofias e histórias para quem sente um tremorzinho ao som de palavras como secreto, especial, espiritual, iluminação, transformação, esoterico, oculto, adivinhação, antiga sabedoria, cósmica, visão, dinamica, dourada, Isis, mistérios e mestres. Prometem escape dos males do mundo, especialmente dos do corpo, enquanto fornecem uma explicação para o Mal.

Afirmam conhecer a razão pelo qual o progresso espiritual é tão lento a chegar: devido a essa coisa horrorosa do universo chamada "matéria".  Prometem o poder de adivinhação enquanto fornecem uma explicação para milagres que os leva para lá dos limites do sobrenatural e coloca o crente no centro do universo espiritual. Prometem a união com grandes principios morais enquanto oferecem a adesão a uma sociedade isolada de seres muito especiais. Mas talvez a maior atração em juntar-se a uma sociedade esotérica seja que não tem de andar na universidade nem tem de ler Kant.

Do que precisa é de queda para o oculto. Isto é perigoso, segundo Blavatsky, mas a teosofia pode ajudar.

Quando ignorante do verdadeiro significado dos simbolos divinos esotéricos da natureza, o homem pode calcular mal os poderes da sua alma e, em vez de comungar espiritualmente e mentalmente com os seres celestiais superiores, os bons espiritos, ele inconscientemente chama os maus, negros poderes que rondam a humanidade -- e caem da magia branca na magia negra. [What Is Theosophy?]

Segundo Madame, "...ninguem pode ser um verdadeiro Ocultista sem ser um verdadeiro Teosofista; de outro modo é apenas um mágico negro, consciente ou inconscientemente." Ela considera mesmo o mesmerismo e o hipnotismo como artes ocultas.

Ciências ocultas não são, como as Enciclopedias referem, "ciências imaginárias da Idade Media que se relacionam com a suposta ação ou influência de qualidades ocultas ou poderes sobrenaturais, como a alquimia, a magia, a necromancia e a astrologia," porque são reais, actuais e muito perigosas. Ensinam a potencia secreta das coisas da Natureza, desenvolvendo e cultivando os poderes secretos "latentes no homem," dando-lhe enormes vantagens sobre os mortais ignorantes. O poder do hipnotismo foi descoberto quase por acaso, com o caminho preparado pelo mesmerismo; a agora um hipnotizador pode fazer quase qualquer coisa com ele, fazendo um homem desde assumir um papel ridiculo a cometer um crime. Não é isto um poder terrivel nas mãos de pessoas sem escrupulos? E lembrem-se que este é apenas um ramo menor do Ocultismo. [The Key to Theosophy]

Blavatksy pode ter compreendido o segredo da essencia divina, mas não penso que tenha compreendido a natureza do hipnotismo ou do mesmerismo. Acredito porem, que tinha razão quando dizia que "...o extase dos misticos e dos modernos mesmeristas e espiritualistas, são identicos na sua natureza, embora diferentes na sua manifestação." [What Is Theosophy?] Acredito que nenhum deles é um estado especial de consciência, apesar de serem estados de espirito, governados por papeis sociais, uma posição defendida por modernos psicólogos como Nicholas P. Spanos.

Pode perguntar porque não é a teosofia universalmente reconhecida como a salvação da humanidade. Para alguns pode ter a ver com a mensageira. Muitas pessoas não levam a sério uma nobre russa que afirma ter tido na infancia visões de um alto Hindu que se materializou em Hyde Park e se tornou o seu guru e conselheiro. Muitos cépticos riem das suas nobres origens e sequente desenvolvimento como artista de circo. Mas tomam a sério as acusações de fraude, por mais nobres que os motivos sejam. Para outros são as doutrinas que os afastam. Apesar dos apregoados elevados principios, o desejo de paz e boa vontade, há o pequeno problema dos corpos astrais, a avolução das raças espirituais, Arianos, poderes paranormais, a Atlantida, etc. Para alguns isto pode parecer melhor que a Encarnação, Transubstanciação e a Trindade, mas para os cépticos isto é apenas codswallop metafisico. Finalmente, outros podem ser repelidos pela auto-disciplina requerida pela teosofia.

...a regra máxima de tudo é a inteira renuncia à personalidade -- i. e., um membro tem de se tornar um autentico altruista, nunca pensar em si, esquecer a sua vaidade e orgulho com o pensamento no bem dos seus irmãos, para lá dos seus irmãos do circulo esoterico. Tem de viver, se quer aproveitar as instruções esotéricas, uma vida de abstinencia em tudo, de auto-negação e estrita moralidade, fazendo o seu dever para com todos os homens.

"...cada membro tem de ser ou um filantropo, ou um investigador nas literaturas Arianas e outras antigas, ou um estudante psiquico."[The Key to Theosophy]

Não é uma vida fácil, perseguindo o caminho dos mahatmas e a Antiga Sabedoria, tentando unir a humanidade na Grande Irmandade dos seres espiritualmente evoluidos com conhecimentos secretos como a Atlantida. Talvez fossem inconsistencias da doutrina secreta que fizeram o grupo dividir-se após a morte de  Madame. O seu sonho da Irmandade do Homem continua um sonho, apesar de existirem sociedades teosoficas em todo o mundo.


Link

Ellwood, Robert S. "Theosophy," in The Encyclopedia of the Paranormal edited by Gordon Stein (Buffalo, N.Y.: Prometheus Books, 1996), pp.759-766. 

Randi, James. An Encyclopedia of Claims, Frauds, and Hoaxes of the Occult and Supernatural (N.Y.: St. Martin's Press, 1995).

Washington, Peter. Madame Blavatsky's Baboon: A History of the Mystics, Mediums, and Misfits Who Brought Spiritualism to America (Schocken Books, 1996). critica por um teosofo  

recuarhome