Magia simpatética

Baseia-se na crença metafisica de que semelhante afecta semelhante. É a base da maioria das formas de  adivinhação. As linhas, formas e padrões das entranhas, estrelas, palma da mão (mais longa a linha, mais longa a vida), etc, são acreditadas como estando magicamente ligadas ao mundo empirico--passado, presente e futuro. É tambem a base de práticas como espetar agulhas em figuras representando inimigos, como é feito no voodoo. As agulhas espetadas no boneco supostamente causam dôr à pessoa representada pelo boneco.

Magia simpatética é a base de afirmações dos detectives psiquicos que afirmam que tocar num objecto pertencendo a uma vitima lhes dá contacto mágico com ela. Barry Beyerstein acredita que é a base de muitas noções da New Age como a "ressonância," a ideia de que se as coisas podem ser mentalmente associadas podem influenciar-se mutuamente e magicamente. Beyertein tambem explica muitas noções dos grafologistas como nada mais que magia simpatética, isto é, a noção de que deixar espaços entre as letras indica uma tendencia para o isolamento, pois esses espaços indicam que a pessoa não se mistura facilmente e se sente desconfortavel com a proximidade. Um  grafologista afirma que a pessoa trai a sua natureza sadica se cruza os t's com linhas que se assemelham a chicotes.

É provavelmente a base de noções como o karma, sincronicidade, comer o coração de um bravo vencido, atirar lanças a animais pintados nas paredes das grutas, ou comungar para unir o participante à Divindade. É certamente a base para a homeopatia e a cura remota.

A Antropologia considera o pensamento mágico um precursor do pensamento cientifico. É indicativo da preocupação com o controle sobre a natureza através da compreensão da cause e efeito. Contudo, os métodos da magia, embora empíricos, não são científicos. Tais pensamentos podem ser encantadores quando feitos pelos nossos antepassados e há milhares de anos, mas hoje em dia tais pensamentos refletem uma profunda ignorância ou indiferença em relação à ciência ou à compreensão testável do mundo. A maior parte de nós escorrega de vez em quando para este modo de pensamento primitivo, mas um pouco de reflexão deve acordar-nos para o facto de que espetar uma faca na fotografia do chefe não o vai incomodar. Pode ser verdade que afagar um amuleto oferecido pelo seu querido ou querida o faz sentir melhor a sua presença, por mais mágico que pareça, tem mais a ver com biologia e psicologia do que com metafisica. E mudar o nome para Dirk Studmuffin não fará o cosmo abanar.


Links

Beyerstein, Barry. "Graphology," in The Encyclopedia of the Paranormal editado por Gordon Stein (Buffalo, N.Y.: Prometheus Books, 1996), pp. 309-324.

Beyerstein, Barry and Dayle F. Beyerstein, editors, The Write Stuff - Evaluations of Graphology, the Study of Handwriting Analysis (Buffalo, N.Y.: Prometheus Books, 1991). 

recuarhome